Diretores escolares da Grande Florianópolis discutem retorno às aulas presenciais

Publicado em 28/07/2020 às 11:20 - Atualizado em 28/07/2020 às 11:20

O projeto Gestores Escolares em Movimento do Arranjo de Desenvolvimento da Educação da Grande Florianópolis (ADE Granfpolis) retomou as atividades com os diretores das escolas e profissionais da educação do território. Em quatro encontros virtuais, realizados em dois dias, os educadores debateram  o processo de acolhimento no retorno às atividades escolares presenciais. Cerca de 390 profissionais participaram dos encontros, que contaram ainda com a participação de psicólogas.

Quando e como será o retorno às atividades nas escolas são questionamentos feitos por profissionais da Educação, pais e estudantes. Essa foi uma das preocupações apontadas pelos gestores escolares em recente pesquisa realizada pelo ADE Granfpolis. O assunto também é destaque em parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE). Com base nestes apontamentos foi definido o tema acolhimento dos colegas de trabalho, das crianças e suas famílias como fator importante para o sucesso deste retorno. “O acolhimento será fundamental e terá que ser um processo de cuidado e responsabilidade. Por isso, trouxemos esse assunto para a discussão. Queremos entender um pouco mais o que os diretores estão sentindo, como estão vivenciando toda essa situação e o que esperam das pessoas no retorno ao convívio escolar”, destaca a consultora técnica do Instituto Positivo e do ADE Granfpolis, Gilmara da Silva.

“Mais do que nunca, teremos que estabelecer a empatia: o professor ouve a criança; o diretor e os coordenadores ouvem os professores; e a equipe da secretaria da Educação tem que ouvir o diretor, e assim vai. Todos nós vamos ter que externar nosso sentimento e alguém acolher”, ressalta a secretária municipal de Educação de Canelinha, Rosângela Maria Leal Cordeiro.

Para o diretor do Centro Municipal de Educação Ambiental Escola do Mar, de São José, Marcelo Cipriani, a escola não será mais a mesma após a pandemia, principalmente no quesito de conceber a aprendizagem. ”As alterações se darão no acompanhamento das famílias que, neste momento, estão mais próximas dos estudantes e das escolas, interagindo por grupos de redes sociais e estabelecendo uma comunicação mais direta com a unidade escolar. Uma parceria que é necessária que permaneça e se solidifique em prol dos estudantes”, evidencia.

Serão inúmeros os desafios e os encontros realizados mostraram preocupação, mas também muita força de vontade por parte dos diretores de fazerem o melhor para os estudantes e profissionais da Educação. “Sobre o conteúdo, ele será focado no momento certo. O que precisamos pensar agora é manter todos bem e em segurança”, explica Gilmara.

Segundo a assistente educacional da Granfpolis, Bianca Silveira, os encontros puderam oferecer uma reflexão acerca do contexto. “Recebemos diariamente muitas informações que, por vezes, geram angústias e incertezas sobre o retorno da educação presencial e de que forma devemos receber e orientar os alunos e colegas de trabalho. Este encontro com os gestores municipais foi de extrema importância. Pudemos refletir sobre o enfrentamento, a superação da Educação com muita troca de experiências entre os municípios da região da Grande Florianópolis, o que fortalece e tranquiliza muitas angústias enfrentadas por esses educadores”, finaliza.

O projeto terá outros três encontros previstos para os próximos meses. Paralelo a este trabalho, em uma ação colaborativa entre o Arranjo de Desenvolvimento da Educação da Grande Florianópolis (ADE Granfpolis) e o Arranjo do Colegiado de Gestão em Educação da Região da Foz do Rio Itajaí (CoGemfri), está sendo elaborado um protocolo de saúde mental para as escolas utilizarem no retorno das aulas presenciais. Grupos de trabalho realizam a coleta de práticas já realizadas, novas ideias e sugestões. 

Sobre o projeto Gestores Escolares em Movimento

O projeto Gestores Escolares em Movimento, criado pelo Arranjo de Desenvolvimento da Educação da Grande Florianópolis (ADE Granfpolis), em parceria com a Associação dos Municípios da região (Granfpolis) e com o Instituto Positivo, nasceu da identificação de uma demanda dos diretores escolares e compõe uma das metas do ADE. Trata-se de encontros periódicos para proporcionar estudos, diálogos e trocas de experiências, além de fortalecer o trabalho de gestão de cada coordenador e diretor. A programação é 100% gratuita. As atividades são desenvolvidas tanto por meio de encontros presenciais, como a distância. Os temas trabalhados em cada módulo respondem às demandas do dia a dia dos gestores e foram alicerçados nos Indicadores da Qualidade na Educação, propostos pelo INEP: Ambiente Educativo; Prática Pedagógica; Avaliação; Gestão Escolar Democrática; Formação e Condições de Trabalho dos Profissionais da Escola; Ambiente Físico Escolar; e Acesso, Permanência e Sucesso na Escola.

Sobre os Arranjos de Desenvolvimento da Educação (ADEs)

Os Arranjos são um modelo de trabalho em rede, no qual um grupo de municípios com proximidade geográfica e características sociais e educacionais semelhantes buscam trocar experiências, planejar e trabalhar em conjunto - e não mais isoladamente, somando esforços, recursos e competências para solucionar conjuntamente as dificuldades na área da Educação. A proposta dos Arranjos foi homologada pelo MEC em 2011, e incluída como uma opção para o alcance das metas e das estratégias previstas no Plano Nacional de Educação, aprovado em 2014 (artigo 7º, parágrafo 7º).

O Brasil possui atualmente 14 ADEs, com 244 municípios trabalhando nesse modelo de colaboração, e alguns já conquistaram avanços consistentes que indicam que estão no caminho certo. Dedicado a estudar e a difundir a metodologia dos ADEs no Brasil, o Instituto Positivo é parceiro da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis (Granfpolis), em Santa Catarina, e, em uma articulação pioneira, lançaram em 2015 o primeiro ADE do Sul do país.

Sobre o ADE Granfpolis

Atualmente, 21 secretários de Educação da região e as suas equipes trabalham de forma conjunta, a fim de alcançar as quatro metas territoriais, definidas em comum acordo e que visam melhorar a qualidade do ensino no território. Fazem parte do ADE Granfpolis os municípios de: Águas Mornas, Alfredo Wagner, Angelina, Anitápolis, Antônio Carlos, Biguaçu, Canelinha, Florianópolis, Garopaba, Leoberto Leal, Major Gercino, Nova Trento, Palhoça, Paulo Lopes, Rancho Queimado, Santo Amaro da Imperatriz, São Bonifácio, São João Batista, São José, São Pedro de Alcântara e Tijucas.


Galeria Multimídia

{{grupo.nome}}
  • {{grupo.items.length - 12}}
    {{item.codGaleriaMultimidiaItem}}
Fechar
publish